22.9 C
Campo Grande
terça-feira, agosto 16, 2022
InícioCidadePacientes têm acesso a consulta com especialistas sem fila e perto de...

Pacientes têm acesso a consulta com especialistas sem fila e perto de casa

Implementado em dezembro do ano passado em Campo Grande, o serviço de Teleinterconsulta tem apresentado excelentes resultados e já auxiliou no atendimento de centenas de pacientes que tiveram acesso a consulta com médicos especialistas sem a necessidade de aguardar por um longo período e perto de casa. A Capital foi a primeira cidade em Mato Grosso do Sul a instituir o programa na Atenção Primária. Atualmente o serviço está sendo oferecido em 9 unidades.

Através da web conferência, o profissional de saúde utiliza estratégias de atendimento compartilhado entre paciente, médico assistente e especialista.

Atuando desde março deste ano na Unidade de Saúde da Família (USF) do Bairro Moreninhas, um dos mais populosos da Capital, o médico residente em Saúde da Família e Comunidade, Bruno Luiz Nunes, destaca que com o apoio da Teleinterconsulta é possível agilizar o diagnóstico e tornar os tratamentos ainda mais precoces e eficientes, além de qualificar os encaminhamentos para a rede especializada.

“Com isso se reduz o tempo de espera para atendimento especializado, a demanda reprimida e o deslocamento dos usuários, Pensando na localização do bairro onde estamos, por exemplo, que é bem afastado. É uma vantagem enorme para o paciente que muitas vezes teria que se deslocar até uma unidade especializada ou a um hospital para ter acesso ao atendimento. Ter o especialista na ponta com acesso rápido facilita todo o processo. Conseguimos dar uma resposta mais rápida ao paciente”, diz.

O médico destaca que apesar de não haver o contato físico do especialista com o paciente, quando é observada a necessidade, é possível fazer o encaminhamento para o atendimento presencial. No entanto, até o momento o serviço tem apresentado alto índice de resolutividade. “Quase que toda a totalidade dos casos a gente consegue dar seguimento pela Teleinterconsulta, sem necessidade de encaminhado. Outro ponto importante é que essa troca nos proporciona um aprendizado, porque podemos tirar dúvidas com o especialista durante o atendimento”, enfatiza.

A dona de casa, Aparecida de Jesus Rezende de Souza, 65 anos,  passou pela experiência de poder consultar o especialista sem fila e no postinho perto da sua casa e se disse surpresa pelo atendimento.

“Para nós isso aqui é maravilhoso. Eu já precisei consultar com um cardiologista há muito tempo e eu lembro que precisei esperar quase três meses para ser atendida. E o atendimento que estamos tendo agora aqui na nossa unidade é muito bom. Sem contar que mesmo distante eu me senti bastante acolhida porque o médico aqui nos dá esse respaldo e vai nos auxiliando quando precisamos responder algo”, diz.

Inicialmente, o serviço de Teleinterconsulta foi implementado em duas unidades de saúde: USF Moreninhas e USF Tiradentes e foi expandido para outras sete unidades: USF Batistão, USF Coophavila, USF Parque do Sol, USF Itamaracá, USF Vida Nova, USF Noroeste e USF Oliveira. A expectativa é, futuramente, expandir o serviço para as 72 unidades de saúde que compõem a Atenção Primária. Hoje o serviço oferta 10 vagas para atendimento em cardiologia por semana. Existe a expectativa para ampliar a oferta para 19 especialidades, como alergia e imunologia, angiologia, cirurgia geral, dermatologia, endocrinologia, hematologia, infectologia, mastologia, pneumologia, neurologia, oftalmologia, psiquiatria, urologia, entre outras.

São atendidos pelo serviço pacientes que tenham indicação do médico da unidade. Considerando que o serviço é voltado a atender pacientes pertencentes a área de abrangência de cada unidade, hoje o Teleinterconsulta contempla mais de 90 mil pessoas. O quantitativo é referente a estimativa de usuários que são atendidos nas nove unidades onde o programa está implementado.

O programa prevê ainda a qualificação dos encaminhamentos para a atenção especializada, diminuição do tempo de espera para o atendimento especializado presencial, atuando na queda da demanda reprimida, nos deslocamentos dos usuários, reduzindo gastos com transporte.

Existe a expectativa ainda de expandir também o atendimento aos pacientes acamados através do Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD) e dar suporte às unidades de urgência e emergência, entre outros, além do apoio ao tratamento dos pacientes provenientes do interior do Estado.

A implantação do Programa Municipal de Teleinterconsulta  é fruto da parceria da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), com o Laboratório de inovação na atenção primária à saúde (INOVAAPS) e o Laboratório de inovação tecnológica em saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS).

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular